Campanha Nacional do Ministério da Saúde divulga o TeleHansen à população

Campanha Nacional do Ministério da Saúde divulga o TeleHansen à população

PELO FIM DA HANSENÍASE

n

Campanha Nacional do Ministério da Saúde divulga o TeleHansen à população

n

A Campanha Nacional de Luta Contra a Hanseníase 2018, com o slogan: “Hanseníase: Identificou. Tratou. Curou”, informa sobre o TeleHansen, serviço de informação gratuito sobre a doença mantido pelo Morhan

n

 

n

No último dia do Janeiro Roxo, mês em que mobilizações regionais, nacionais e internacionais chamam a atenção para a hanseníase, o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas Pela Hanseníase (Morhan) participou do lançamento da Campanha Nacional de Luta Contra a Hanseníase 2018. Realizado em Belém (PA), o evento contou com a presença da coordenadora nacional do Morhan, Lucimar Batista, do ministro da Saúde Ricardo Barros e diversos representantes de entidades engajadas nacionalmente com a eliminação da doença e do preconceito. As peças da campanha, que serão veiculadas nacionalmente, trazem o slogan “Hanseníase: Identificou. Tratou. Curou”. O objetivo é alertar a população sobre sinais e sintomas da doença, estimular a procura pelos serviços de saúde e mobilizar profissionais de saúde na busca ativa de casos, favorecendo assim o diagnóstico precoce, o tratamento oportuno e a prevenção das incapacidades.

n

 

n

Além da ampla abrangência, uma novidade da campanha deste ano é a divulgação, nas peças, do TeleHansen 0800 026 2001, um serviço gratuito de informação sobre hanseníase, tratamento, acesso a serviços e os direitos das pessoas atingidas pela doença, que o Morhan mantém com o apoio da Fundação Nippon. Para Lucimar Batista, a campanha é essencial para o enfrentamento dos principais obstáculos à eliminação da hanseníase no país, que são o preconceito, a falta de informação pública sobre a doença e o despreparo da rede saúde para diagnosticar os casos precocemente.

n

 

n

Morhan integrou Grupo Executivo de consultoria sobra a campanha

n

O público prioritário são homens na faixa etária entre 20 e 49 anos, parcela da população com maior número de casos diagnosticados. Também deve ser dada atenção especial ao público idoso, por se tratar de um grupo com alta taxa de detecção de casos novos com grau 2 de incapacidade físicas (incapacidades visíveis) causadas pela hanseníase. Para alcançar essa população, a sensibilização entre profissionais de saúde será fundamental, bem como a busca ativa de casos novos em espaços de convivência (ambiente domiciliar e social). A campanha publicitária também enfatiza a importância de examinar as pessoas que convivem ou conviveram de forma continua e prolongada com os casos diagnosticados. Os elementos técnicos em que embasam a campanha foram discutidos em um Grupo Executivo de Comunicação coordenado pela Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação (CGHDE/MS), do qual o Morhan fez parte durante o ano de 2017, junto com diversas outras entidades da área técnica e movimentos sociais, espaço em que a divulgação do TeleHansen foi reivindicada junto ao Ministério da Saúde.

n

 

n

Cenário preocupante

n

Em 2016, o Ministério da Saúde registrou 25.218 casos novos de hanseníase no Brasil, o que representa 12,23 casos novos para cada 100 mil habitantes: a maior taxa de casos proporcionais do mundo. “Esses indicadores não fazem sentido para uma doença que tem cura e cujo tratamento, gratuito, está disponível no SUS”, afirma a coordenadora nacional do Morhan. Neste cenário, o Morhan mantém uma agenda de mobilização que se articula nas três esferas (municipal, estadual e nacional, como no caso da cooperação em relaçao à campanha do Ministério da Saúde) e também internacionalmente, representando o Brasil no Apelo Global pela Eliminação da Hanseníase (saiba mais aqui)

n

 

n

Canais de informação sobre hanseníase e comunicação com o Morhan:

n

 

n

TeleHansen

n

0800 026 2001

n

 

n

ZapHansen

n

(21) 97912 0108