MORHAN, Riosolidário e OGX lançam Carretinha da Saúde

MORHAN, Riosolidário e OGX lançam Carretinha da Saúde

O Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN), em parceria com Riosolidário e com apoio da OGX, deu início, na noite do último dia 16, a uma campanha permanente de combate à doença no estado do Rio, com o lançamento da Carretinha da Saúde. O evento ocorreu durante a abertura do 3º Congresso de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-RJ), no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca.A quase totalidade dos 92 secretários municipais de Saúde do estado do Rio, o secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Sergio Cortes, a presidente do Riosolidário, Daniele Pedras, participaram da inauguração do veículo. O ministro Alexandre Padilha foi representado pelo secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda Magalhães. Diretores nacionais  do Morhan e pacientes e ex-pacientes de hanseníase de vários estados acompanharam o evento.A Carretinha da Saúde é uma pequena carreta adaptada com três ambulatórios, além de palco para atividades de educação em saúde, que se transforma sala de espera e acolhimento climatizada com recursos multimedia e elevador para portadores de deficiências, para diagnóstico imediato de hanseníase.A iniciativa segue os moldes da Carreta da Saúde, que já esteve em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Alagoas, Paraíba, Ceará, Maranhão e Paraíba, entre outros estados brasileiros, identificando em um ano quase mil casos novos de hanseníase em um ano útil de atendimento.- Pretendemos, com a iniciativa, ajudar na identificação e tratamento de hanseníase principalmente em áreas de populações excluídas ou de dificuldade de acesso, como a indígena, acampamentos de sem-terra e de ciganos, em áreas rurais e regiões pacificadas por UPPs, além de dar suporte no atendimento médico durante catástrofes, como a das chuvas ocorridas no início do ano, na Região Serrana, quando a Carreta da Saúde auxiliou na assistência aos desabrigados. A ideia é sensibilizar os secretários para que façam a campanha em seus municípios – explicou o coordenador nacional do Morhan e conselheiro nacional de Saúde, Artur Custódio Moreira de Sousa.O Brasil ocupa atualmente a primeira posição no mundo em incidência de hanseníase, com cerca de 40 mil novos casos por ano, seguido do Nepal e Timor Leste. Já o estado do Rio, embora apresente uma incidência duas vezes menor que a média nacional, tem municípios ?silenciosos?, que não conseguem identificar os casos de hanseníase, e a media de casos que já chegam com sequelas devido ao diagnóstico tardio é maior que a taxa nacional.Por Claudia Silveira