Saúde de ex-hansenianos idosos que vivem em antigas colônias é tema de debate

Saúde de ex-hansenianos idosos que vivem em antigas colônias é tema de debate

 

Iniciativa inédita no Brasil aborda aspectos relacionados ao envelhecimento de ex-pacientes de hanseníase em seminário no Hospital Estadual Tavares de Macedo

 

Assim como toda a população brasileira, as pessoas que tiveram hanseníase estão envelhencendo. E por conta das sequelas em decorrência da doença, além das complicações comuns a todos os idosos, os ex-pacientes podem apresentar incapacidades ainda maiores, principalmente se o tratamento não tiver sido realizado de forma correta ou tardiamente, como aconteceu com muitas pessoas que foram submetidas ao isolamento compulsório. Na próxima sexta-feira, dia 13 de julho, o tema será debatido no I Encontro sobre Envelhecimento e Hanseníase, Ações de Cuidado na Prática em Saúde, que acontece no Hospital Estadual Tavares de Macedo, em Itaboraí – unidade de saúde que abriga 180 idosos, entre ex-haseníanos e albergados, segundo levantamento do Censo 2010.

 

A iniciativa inédita no Brasil é promovida pelo Hospital Tavares de Macedo da SES com apoio do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) em parceria com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia e com a Sociedade Brasileira de Alzheimer.“Esta é uma ação importante porque vamos discutir pela primeira vez no país um tema relevante para a população de pessoas que tiveram Hanseníase , albergados e as comunidades que ainda vivem em ex-colônias”, comemora o coordenador nacional do Morhan, Artur Custódio.

 

A diretora geral do Tavares de Macedo, Ana Claudia Krivochein, explica que a unidade de saúde abre as portas para o debate no momento em que o projeto para a implantação de um Serviço de Gerontologia e Geriatria voltado para os pacientes, albergados e comunidade local está sendo desenvolvido. “Como acontece em outras ex-colônias de hanseniase no país, 90{f7c3764f0e4c7c4bf2745755e122a608d6cd7137043b2067a0d398e586891438} dos ex-pacientes e albergados que vivem no Tavares de Macedo são idosos. A implantação de um serviço que atenda esta demanda e que tenha como foco a reabilitação e a prevenção de limitações provenientes de outras doenças características do envelhecimento, é fundamental para garantir a qualidade de vida dessas pessoas”, resume a diretora.

 

Para o presidente da Associação Brasileira de Gerontologia, Serafim Paz, a iniciativa mobiliza a sociedade acerca da necessidade da implantação de políticas públicas e sensibiliza os profissionais de saúde que atuam na área. “A sociedade precisa pleitear e acompanhar a evolução das políticas públicas para os idosos e assumir seu papel como copartícipe nessa realidade humana que atinge a todos. O seminário vai reforçar esta participação e sensibilizar os profissionais de saúde para a importância das ações preventivas”, avalia Serafim.  

 

Preocupação para a população acima dos 60 anos, o mal de Alzheimer também estará na pauta dos debates. Segundo a presidente no Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Alzheimer, Eliana de Farias, hoje no Brasil mais de um milhão de pessoas sofrem com a doença. “Acima de tudo, o cuidado é preciso. Independente de serem portadores de hanseníase ou não, é necessário que o diagnóstico seja realizado e que haja prevenção com um trabalho multidisciplinar para estimular as habilidades físicas e mentais dos idosos e retardar a evolução do Alzheimer”, ressalta Eliana.

Varias autoridades estão confirmadas dentre elas o Cristiano Claudio Torrres membro do Conselho Nacional dos Diteitos do Idoso – da Secretaria de Direitos Humanos da Presidencia da Republica e Vice coordenador Nacional do Morhan 

 

Confira a programação completa:

9h
Mesa de abertura
Ana Cláudia  Krivochein, diretora geral do Hospital Estadual Tavares de Macedo

10h às 12h

Política Nacional do idoso, Estatuto do Idoso e Espaços de Controle Social
Serafim Paz, presidente da Associação Brasileira de Gerontologia e professor da Universidade Federal Fluminense

Política Estadual para a Pessoa Idosa
Maria da Penha Silva Franco, Superintendência  do Programa da Pessoa Idosa

Política Municipal da Pessoa Idosa
Vânia Rogéria Antunes Ferreira, coordenadora do Programa  de Saúde do Idoso do Município de Itaboraí

13h às 15h45
Debates

Qualidade de vida
Sandra Rabello, Universidade Aberta da Terceira Idade/ Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Unati/Uerj)  

Qualificação e formação continuada
Sara Nigri Goldman, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 

Cuidado e a organização de serviços para a população idosa
Virgínia Maffioletti, psicóloga do Instituto de Psiquiatria da UFRJ

Cuidado na Demência e Alzheimer
Eliana Maria de Farias, presidente no Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Alzheimer

16h
Tribuna livre de envelhecimento e cuidado
Roda de conversa: expectativas e perspectivas de qualificação para o cuidado

SERVIÇO:
I Encontro sobre Envelhecimento e Hanseníase, Ações de Cuidado na Prática em Saúde
Sexta-feira, 13 de julho, de 9h às 17h

Hospital Estadual Tavares de Macedo
Rodovia Amaral Peixoto, Km 34 – Venda das Pedras
Itaboraí – Rio de Janeiro